13 de novembro de 2013

Projeto de abertura de dados digitais na Capital, inicia-se nesta quarta

A partir desta quarta, 13/11, com o lançamento do projeto de open data do Poa Digital (setor da prefeitura responsável pelas iniciativas ligadas à área digital), programadores, empresas e qualquer cidadão terão acesso a números em linguagem acessível, para que possam usá-los no desenvolvimento de aplicativos e sites que promovam melhorias à cidade. Responsável pelo projeto de open data na cidade americana de São Francisco, Brian Purchia veio a Porto Alegre para dar início aos trabalhos e à divulgação das ações.

A prefeitura,  tem acesso às estatísticas sobre criminalidade, transporte, saúde, segurança e educação, chamados de dados. Segundo o responsável pelo Poa Digital, Thiago Ribeiro, o que se fará com esses dados vai depender das mentes criativas do município. O objetivo é também fazer com que se fomente empresas e pessoas interessadas em por cria r(com ou sem a ideia de ter lucro) produtos a partir dos dados da cidade.

– Porto Alegre é vista como líder ao redor do mundo em termos de participação popular, por conta do Orçamento Participativo. Então, a ideia de envolver a comunidade de Tecnologia da Informação (TI) em torno do open data é algo natural. E não há ninguém, pelo que vejo, fazendo isso no Brasil – comenta Purchia., que ressalta a importância de todas as áreas do governo municipal estarem dispostas a colaborar, liberando os dados.

Esse também é um desafio que o projeto enfrenta: convencer as diferentes secretarias que liberar essas informações para a população pode ser benéfico.
Para o prefeito José Fortunati, ainda que haja alguma resistência, isso deve acontecer naturalmente conforme os resultados positivos aparecerem.

Um exemplo de como esses dados poderiam servir à população é que, se alguém tiver a ideia de fazer um aplicativo com o transporte público, poderá avisar ao usuário, baseado em sua geolocalização, qual a linha que passa em determinado local e que horas deve chegar o próximo veículo. Essas informações seriam coletadas diretamente no Data Poa. Depois de pronto, o aplicativo pode ou não ser submetido ao crivo da prefeitura, que dará um selo de aprovação e divulgação para as iniciativas que julgar interessantes para a comunidade.

Fonte

Nenhum comentário:

Postar um comentário